Buscar
  • GVBIM

4 usos mais comuns (mas nem tanto) do BIM


Já falamos aqui sobre os usos menos conhecidos, em diversos outros textos nós também trouxemos alguns usos mais comuns do BIM. O que gostamos de fazer aqui em nosso blog é trazer a realidade do universo de possibilidades que esta tecnologia proporciona. Quando se opta pela construção virtual, se tem acesso a um novo mundo de opções que somente uma plataforma completa pode oferecer. Um exemplo disso: você escolheu usar o BIM pois entendeu que a quantidade de dados contidos em projetos deste tipo são gigantes e também por saber da importância da informação no processo de construção civil. Sua escolha foi pelos dados, mas além disso você recebeu, confiabilidade, viabilidade de demonstração de situações reais de obra, simulação 3D de seu empreendimento e mais uma infinidade de outras possibilidades.


Você escolheu o BIM por uma vantagem que ele proporciona, mas além disso recebeu uma infinidade de outros benefícios que fazem parte deste universo de possibilidades.


E quando dizemos universo é isso mesmo que queremos dizer. Você pode conferir todos os textos em nosso blog, ler um por um em sequência. Uma coisa que você irá perceber é que falamos sobre um monte de coisas diferentes, temos textos que falam desde o processo pré-implantação a até o uso do BIM na execução. Mas é um fato que ainda nem arranhamos a superfície da quantidade de possibilidades contidas nessa tecnologia. Ainda temos um mundo de assuntos relacionados a BIM para abordar.


TEM O COMUM, O INCOMUM E O MEIO DO CAMINHO


Hoje a gente quer falar sobre o que está no meio do caminho entre o que é um uso comum e o que pode ser chamado de incomum. Para isso, precisamos primeiro explicar o que queremos dizer com este tal de “meio do caminho”. Bom, o que queremos dizer quando nos referimos a este espaço entre o comum e o incomum, é que existem usos do BIM que são muito conhecidos dentro da área da construção civil, são difundidos e amplamente usados, mas não tão falados assim para o público em geral. Normalmente quem não conhece a modelagem de informação da construção a fundo, acha que construção digital é maquete digital, ou só um modelo 3D para facilitar a visualização, quando na verdade, sabemos que é bem mais do que isso. E é disso que vamos falar agora.


1. CRIAÇÃO DE ESTRATÉGIAS MAIS ECONÔMICAS


Com a tecnologia BIM é possível se prever basicamente tudo em todas as fases de um empreendimento. É possível se fazer escolhas mais econômicas dentro dos materiais até mesmo nos equipamentos e na dinâmica da execução, tudo usando softwares BIM. Imagine que, com os dados fornecidos pelo software, você percebe que todo o projeto hidrossanitário do empreendimento no qual você está trabalhando pode ser executado com tubulações diferentes, de material mais leve e menor. Você então refaz o projeto e percebe que foi economizado um valor X dentro do orçamento inicial, graças a esta pequena mudança.


2. ACOMPANHAMENTO DE OBRA


Já falamos sobre isso em outro de nossos textos. A Modelagem de Informação da Construção é tão completa, que você pode acompanhar sua obra, antes mesmo dela acontecer. Como? Com dados e simulações. Já trouxemos o exemplo aqui do projeto que fizemos para o Aeroporto de Governador Valadares. Bom, o resultado final foi tão legal que é difícil deixar este exemplo de fora de nossos textos. O que fizemos foi criar uma simulação de situações reais que podem acontecer dentro da execução da obra de um Aeroporto, eventos como: intempéries, decolagem e aterrissagem de aviões durante as obras, dinâmica entre todo o maquinário e funcionários durante o processo de execução, além de mais uma infinidade de situações. Vale a pena conferir o vídeo que este projeto gerou com alguns exemplos dessas simulações.


3. BIM DENTRO DE CASA


Nesse momento você pode estar pensando “olha só, que legal esse tal de BIM, deve ser muito útil mesmo para essas grandes obras que eles estão falando.” O que é verdade. Mas o BIM também é muito benéfico para a construção de uma casa, para a reforma de um quarto, até mesmo para se projetar uma fechadura. Isso mesmo, uma fechadura. O trabalho realizado para um de nossos clientes, a Pado Fechaduras, foi a digitalização de seu catálogo. Fizemos modelos em BIM dos produtos oferecidos pela loja, o que permite que arquitetos e engenheiros consigam ver com detalhes estéticos e técnicos como o produto funciona. Não existe escala para o BIM, seja o maior prédio do mundo, ou uma pequena fechadura, informação é informação, e onde tem dados, pode haver BIM.


4. SIMULAÇÕES CLIMÁTICAS


E para finalizar, mais um uso muito difundido, mas pouco conhecido pelo público geral. Simulações climáticas feitas em BIM são extremamente úteis para saber como seu empreendimento irá interagir e até mesmo resistir a eventos do clima, como chuvas fortes, possíveis inundações e até mesmo calor extremo. Imagine que você está projetando uma casa em uma região onde faz muito calor. Sendo um projetista consciente e gente boa, você não quer que os moradores fiquem expostos ao sol escaldante durante as horas mais quentes do dia. Para isso, pode-se usar softwares BIM para simular o “caminho do sol” durante um longo período de tempo, para saber quais serão as partes mais expostas ao calor nas estações vindouras. Isso possibilita mudar o projeto para criar um ambiente mais confortável e também econômico, pois tendo uma casa mais fresca e bem ventilada o uso de energia elétrica para ar condicionados e ventiladores diminui drasticamente.


BIM é muito mais do que se imagina

É normal que algumas pessoas pensem que esta tecnologia seja apenas para criar maquetes 3D e que não tenha nenhum valor nela a não ser o estético, mas com o tempo a gente vai mudando isso e popularizando esta forma de projeto tão completa. Se você conhece alguém que pensa assim sobre o BIM (rimou), mostre esse texto pra essa pessoa. O BIM é muito mais do que os olhos podem ver.


2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo