Buscar
  • GVBIM

4 vantagens da implantação BIM

É impossível, como fomentadores da tecnologia de Modelagem de Informação da Construção, criar uma lista completa de vantagens da mesma sobre outros métodos de projeto em construção civil. A quantidade de mudanças positivas que a implantação BIM traz para uma empresa é gigantesca e passa por mínimos detalhes que muitas vezes ficam despercebidos, mas não deixam de estar lá, fazendo a diferença no dia a dia de quem projeta. Por mais difícil que seja quantificar este infindável leque de benefícios, hoje resolvemos trazer quatro das principais vantagens de se adotar o BIM


ANTES DE TUDO


Quando falamos sobre BIM falamos de todo o conjunto de tecnologias que transforma informação em construção. Vale lembrar que Building Information Modeling não é um software. BIM não é um programa que se compra para criar maquetes em 3D. A tecnologia de construção virtual é muito maior do que isto e passa por diversas áreas da construção civil. Por isso é importante entender o que é esta tecnologia. BIM é composto pelo tripé: pessoas, processos e tecnologia.

Isto nos permite construir virtualmente usando informações reais, trazendo total fidelidade ao que se vê na tela (É errado comparar um projeto em BIM com maquete 3D pois, apesar de ambos contarem com representações visuais de uma obra, no projeto BIM existe toda uma complexa rede de dados e informações que fazem com que aquela representação imagética que se vê na tela no computador seja uma réplica fiel ao que o empreendimento será na vida real.)



1 - BIM É FUNDAMENTAL PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL


A tecnologia de Modelagem de Informação da Construção é utilizada desde os estágios iniciais do projeto. Isso faz com que seja possível prever com altíssimo nível de precisão a quantidade de materiais utilizados desde o início até o final da execução da obra. Há também o fator tempo, que pode ser quantificado utilizando as metodologias de BIM 4D. Estes dados possibilitam um alto nível de economia nos materiais utilizados durante a obra, tornando a execução mais produtiva e diminuindo a quantidade de desperdício e uso inadequado de materiais.

Este método faz parte do chamado BIM 6D, (tem este nome por ser a sexta esfera da Modelagem da Informação da Construção) está ligada à otimização de processos para que uma obra se torne sustentável. Nesta esfera são realizadas análises que nos ajudam a entender a eficiência energética de um empreendimento, os materiais que serão usados ali e qual sua pegada de carbono.



2 - BIM PARA GRANDES CONSTRUÇÕES

A construção virtual nos possibilita um nível de detalhes que jamais houve na construção civil. Por isso, seu uso em grandes construções deixou de ser apenas interessante e passou a ser INDISPENSÁVEL. O número de variáveis que podem nos gerar problemas em uma obra de pequeno a médio porte já é grande, em uma grande construção este número beira o infinito. Por isso é importante que possamos quantificar o máximo de fatores presentes no canteiro, para que tenhamos controle sobre todos os pequenos detalhes que podem gerar situações problemáticas em uma obra.

Com o BIM temos toneladas de dados, em comparativo, um projeto em CAD tem em média 300 kbytes, enquanto o mesmo projeto criado com a metodologia de construção virtual tem por volta de 1GB. Um número muito maior de informação que reflete lá na frente, durante a execução.


3 - BIM É O FUTURO DOS PROJETOS


Sendo mais precisos, podemos dizer na verdade que o BIM é o presente dos projetos. Mas decidimos nomear este tópico com o termo “futuro” pois podemos dizer que nos anos que se estão por vir, a curto e médio prazo, a modelagem de informação da construção será não apenas a melhor opção na hora de se projetar um empreendimento, será na realidade a única forma de se fazer isto. Claro que não estamos descartando os outros métodos, mas é possível ver uma tendência mundial mercadológica de obrigatoriedade de projetos em BIM. Diversos países da Europa já tornaram a construção digital obrigatória na entrega de projetos e ao que tudo indica o Brasil segue o mesmo fluxo. Por isso é preciso estar atento a essas tendências e como elas moldam o mercado.


4 - BIM E SEUS DIVERSOS USOS


Em nossos textos sempre mencionamos os usos mais comuns da tecnologia de construção digital, mas vale passar também por algumas aplicações que não fazem parte do circuito mais conhecido. Um exemplo interessante é o da criação de bibliotecas de componentes para fabricantes da construção civil. Com o BIM é possível recriar digitalmente diversos componentes como: portas, maçanetas, ar condicionado e até mesmo fechaduras (foi o que fizemos para o catálogo virtual de nosso cliente Pado Fechaduras). Com a digitalização dos dados pode-se recriar estes componentes digitalmente com detalhes e funcionalidades reais. O que demonstra a versatilidade desta tecnologia que tanto cresce e que continuará crescendo cada vez mais.


Saiba mais sobre implantação BIM lendo mais textos do nosso blog. Aqui te mantemos informados com conteúdo de qualidade e de fácil entendimento!

6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo