Buscar
  • GVBIM

As dimensões do BIM 4D

Meus amigos e amigas, aqui estamos novamente para conversar sobre nosso queridíssimo Building Information Modeling, ou BIM para os íntimos. Hoje é dia de conversar sobre uma das muitas dimensões desta tecnologia, dimensão essa que é utilizada para o planejamento da execução das obras. Estamos falando do BIM4D. Já conversamos um pouco sobre este tema em nosso texto sobre a tomada de decisão contínua. Vale a pena conferir. Mas desta vez queremos nos aprofundar um pouco mais nos pormenores deste aspecto do BIM que pode mudar drasticamente o planejamento de uma obra. Então vem com a gente.


O QUE SÃO OS D’s DO BIM


Bom, vamos começar do começo, como sempre. Primeiro, para entendermos a importância do BIM 4D precisamos primeiro compreender o que são esses D’s. Os 3 primeiros são fáceis de entender, certo? São as 3 dimensões que já estamos acostumados. Este 3D se refere justamente ao modelo tridimensional que é gerado nos softwares de modelagem de informação da construção. Quando se submete os dados ao programa, ele gera a amostra em três dimensões que estamos acostumados a ver.

O quarto D tem a ver com o planejamento da execução da do projeto que foi previamente criado. BIM 5D é a quinta dimensão da tecnologia que diz respeito à junção destas informações de projeto e planejamento com o orçamento. 6D é a esfera do BIM que diz respeito à sustentabilidade. Já o 7D se refere à sétima dimensão que representa a gestão e manutenção da obra já pronta.

Podemos (e queremos) falar mais sobre estas dimensões em textos futuros, deixe nos comentários sua opinião sobre uma série explicando cada dimensão do BIM.


HOJE VAMOS FALAR DO 4D


O que é BIM 4D, uma tecnologia, um processo? Como já mencionamos, 3D é o modelo tridimensional gerado pelo software, já o 4D é quando o modelo tem informações necessárias para se entregar um planejamento de execução da obra. E o que isso quer dizer?

Suponhamos que você acabou de projetar uma casa de luxo, como uma daquelas que mencionamos em nosso texto: Projetando uma mansão em BIM. Tendo criado o projeto, você agora quer planejar a melhor forma de se executar esta obra, afinal, estamos falando de uma casa grande, com diversos pavimentos e um número maior ainda de quartos e cômodos. Em uma obra de grande porte, qualquer erro significa mais gastos, e uma coisa que você não quer é gastar onde não precisa, correto?

O BIM 4D serve justamente para ajudar neste planejamento executivo da obra. Novamente, nos apoiando em toneladas de dados, informações, e utilizando softwares de planejamento 4D como, Fuzor, Navisworks, podemos com precisão planejar todos os processos de execução de um empreendimento, já que o projeto executivo é um cronograma de execução da obra, quase como uma listinha do que deve ser feito e quando deve ser feito (claro que com muito mais detalhes e precisão rs)


PARA SE TER UMA IDEIA

Imagine que você é engenheiro e está acompanhando a construção de um shopping, um daqueles empreendimentos com diversas etapas na construção e que demandam muito tempo e planejamento. As paredes e telhado acabaram de ser construídas e você consegue ver todo o esplendor daquela obra tão bem executada. Até que… você, olhando sua planilha de planejamento percebe que a montagem dos geradores de energia elétrica está agendada para amanhã.

Estamos falando de geradores grandes, daqueles capazes de manter as luzes do seu shopping acesas por dias. O problema é, por onde você vai passar estas máquinas? Onde os caminhões guindastes irão descer estas grandiosas ferramentas de alimentação elétrica? Nenhuma das portas do shopping cabe uma peça dessas, e você não pode quebrar as paredes nem os telhados. Este é um detalhe pequeno que gera um baita de um custo, tanto em tempo quanto em dinheiro. Quando você percebe, já é tarde demais. A planilha é uma das melhores amigas do engenheiro, mas ela não é infalível.


BIM 4D RESOLVE PROBLEMAS


É aí que podemos ter uma noção da importância de um planejamento que beire a perfeição. Com o 4D pode-se pegar cada um dos elementos presentes no projeto, desde uma viga até mesmo uma maçaneta, e atrelar a ela informações referentes à execução, como a data em que ela será construída.

Compilando todas essas informações os softwares nos dão um modelo preciso de como será realizada a construção do empreendimento. Vale lembrar que o software auxilia a fazer a análise, mas não dá conclusões, isso é trabalho do engenheiro, de entender quais são os erros ali presentes e tomar as decisões para garantir que o trabalho seja feito de forma rápida e econômica.

Às vezes pode parecer um pouco complicado visualizar tudo isso acontecendo no software, são muitos números e informações. Mas nós temos um jeito de facilitar isto. Quando você entrou em nosso site para ler este artigo, deve ter percebido a animação que passa ao fundo, de um prédio sendo construído em 3D, bom, aquilo ali senhoras e senhores, é o BIM 4D em sua forma mais pura.

gOs programas utilizam a informação e nos mostram ela graficamente daquela forma, fase a fase, construindo digitalmente aquilo que futuramente sairá das telas e ganhará o mundo real. Além de ser bem legal de se ver, também é útil, e econômico.

Econômico, pois ajuda a planejar imprevistos, como aquele que mencionamos mais acima, com o caso do shopping, o BIM 4D faz com que você evite andar em círculos e te leva direto ao ponto.


BIM OTIMIZANDO A ENGENHARIA


Basta ver os avanços trazidos ao mercado pela tecnologia de modelagem de informação da construção para entender como esta otimização vem acontecendo. Cada vez mais conseguimos, graças a dados e informação construir empreendimentos com mais velocidade, economia e sustentabilidade. O BIM não ajuda somente na execução de obras hoje, ajuda a construir um futuro mais eficiente.


15 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo