Buscar
  • GVBIM

Bim 4D e a tomada de decisão contínua

Bim é um mapa do futuro


Hey, marujo. em nosso último texto nós falamos como a tecnologia BIM é como um mapa do futuro, quase como uma previsão vinda direto das páginas de uma história em quadrinhos, só que no mundo real. Em nossa última conversa falamos sobre o processo de tomada de decisão e como o BIM tem a capacidade de ser uma peça chave nesta etapa


Bom, agora você já tem este mapa e precisa buscar seu tesouro, como fazer isto? Já dando um spoiler aqui, tudo passa pelo que chamamos de Processo de Decisão Contínuo. E é dele que iremos falar hoje.


Um novo olhar sobre a tomada de decisão


Quando falamos da tomada de decisão em nosso último texto, usamos a metáfora da bifurcação na estrada. Dois caminhos, um para a esquerda e outro para a direita e você, no meio dos dois, precisa escolher por qual irá seguir. Neste momento, uma decisão precisa ser tomada. E qual é a melhor forma de tomá-la. Bom, se você tiver acesso a dados sobre os caminhos, seria bem mais fácil decidir por qual deles caminhar, certo? Pois é, este é o processo de tomada de decisão e o BIM é aquele que te entrega estes dados para que você tenha segurança na hora da escolha. Mas a realidade não é assim tão fácil, até gostaríamos que fosse, mas infelizmente, imprevistos acontecem e o BIM é uma forma de prever imprevistos.


O BIM é uma forma de prever imprevistos.


"Imprevistos acontecem” esta frase já é lugar comum, todo mundo sabe que, por mais que se planeje, uma hora ou outra algo fora dos planos irá acontecer. A questão é que, durante a execução de um empreendimento é preciso estar preparado para isso da melhor forma possível. Suponhamos que você esteja executando um projeto, um Shopping Center. No processo inicial de tomada de decisão todas as variáveis foram consideradas e tudo o que se imaginava ser possível de acontecer foi colocado à prova utilizando as tecnologias de construção digital. Agora, seu trabalho é pegar os dados que foram gerados e utilizar de forma responsável para que seu Shopping se torne realidade.


Porém, (frase clichê à frente) imprevistos acontecem e por isto o processo de tomada de decisão deve sempre ser contínuo. Por isso deve-se ter um novo olhar sobre isso, e novamente as tecnologias de construção digital são aliadas. Com o BIM é possível prever imprevistos durante a execução da obra, tudo em tempo real, com a tecnologia que chamamos de BIM 4D, uma forma de planejamento inteligente.


O que é BIM 4D?


É uma forma de uso das tecnologias BIM para o acompanhamento de tarefas alinhada ao modelo BIM, é adicionarmos o tempo de execução de um determinado objeto seguindo uma sequência lógica de cronograma, aquele mesmo cronograma de obra, em project ou excel, adicionado a uma camada virtual.. Ou seja, trabalhar com os dados durante a obra e não somente antes. As tecnologias de construção digital são muito utilizadas no “antes” de uma obra, em sua fase de planejamento e projeto. Mas também podem e devem ser utilizadas no “durante” para gerir a obra. O BIM 4D possibilita reduzir os riscos gerais de uma obra e seu plano de ataque, criar simulações de toda logística de canteiro, equipamentos, sequenciamento de atividades e prever acontecimentos e suas variáveis através da análise da virtualização do cronograma. Tudo isso utilizando os dados e informações reais para gerar simulações. Isso tudo contribui para a metodologia de tomada de decisão contínua, pois ela está baseada na possibilidade de imputar dados e coordená-los para que eles sejam trabalhados de forma inteligente e gerar novas tomadas de decisões. Decisões essas que, fundamentadas em dados, têm a capacidade de gerar uma obra infinitamente mais segura.


Como usamos o BIM 4D

Bom, se o BIM 4D é utilizado para prever imprevistos alinhados ao cronograma então ele deve ser usado durante a execução, correto? Não necessariamente. Ele pode ser usado antes de iniciar a obra, para antever o que pode acontecer durante o andamento do projeto. Foi o que fizemos na proposta do Aeroporto de Governador Valadares.


Simulando uma obra em um aeroporto


Reformar um Aeroporto não é nada simples, imagine ter todo um corpo de trabalho operando dentro de um espaço como este enquanto ele ainda funciona. É preciso entender onde a equipe irá operar, prever o uso das máquinas, a rota dos caminhões, eventos meteorológicos que podem acabar acontecendo. Tudo isso enquanto aviões pousam e decolam, passageiros transitam pelo saguão e pista, carrinhos de bagagem passam de um lado para o outro. Ufa… é muita coisa, mas o BIM nos dá uma mãozinha. Com o uso de dados obtidos do funcionamento do aeroporto e da execução por parte das empreiteiras foi possível simular todas essas situações e chegar à opção mais segura de execução para esta obra. A união destes fatores nos proporcionou uma simulação em tempo real de como a obra seria sair do papel. E o mais legal é que você pode conferir esta simulação clicando aqui


Já falamos que dá para prever imprevistos?


Não sei se comentamos anteriormente, mas o BIM é excelente para prever imprevistos. Se já falamos, vale a pena falar de novo, haha. Outro exemplo é o trabalho que realizamos para um loteamento. Uma das partes do projeto envolvia uma área de lazer para crianças, feita com estrutura metálica. O porém é que o projeto foi realizado antes da pandemia, quando o valor do aço ainda estava acessível. Com a chegada do lockdown o valor do aço subiu e o cliente decidiu que iria preferir realizar a área de lazer em concreto. Nada que não pudemos resolver com aplicação do BIM a. Com os softwares foi possível identificar quais regiões iriam utilizar a estrutura metálica e simular o que seria necessário fazer para alterar o modelo estrutural. Tudo certo, mais um cliente feliz.


Como sempre, o BIM está a um passo à frente. Por isso é tão importante que nós, como profissionais da construção civil, tenhamos total conhecimento das novas tecnologias. Para termos a oportunidade de usá-las a nosso favor.


10 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo