Buscar
  • GVBIM

BIM, CAD e suas principais diferenças organizacionais

Em nossa conversa hoje, falaremos um pouco mais sobre a relação e as diferenças entre BIM e CAD. Existem, claro, as distinções mais óbvias entre ambas as tecnologias: volume de dados, abordagem, cultura entre outras. Mas há também pontos nos quais não se presta muita atenção quando o assunto são as distinções entre estes dois modelos de produção de projetos de engenharia e arquitetura. É sobre isso que iremos discorrer nas linhas a seguir. Vale ressaltar que o que queremos não é falar bem ou mal de tecnologia A ou B, mas sim, apresentar fatos que observamos em nossa experiência como profissionais, fatos estes que nos mostram diferenças organizacionais e práticas entre BIM e CAD.


PROCESSOS E PESSOAS


Quando falamos de BIM, sempre nos atentamos ao fator ‘tecnologia’ da equação. Sim, este é um aspecto de fundamental entendimento quando o assunto é a modelagem de informação da construção. Tecnologia, dados, tudo isso é base para se entender o que é o universo BIM. Mas esta metodologia de projeto não se apoia somente nisso. BIM na realidade é uma conjunção entre tecnologia, pessoas e processos.


Vale ressaltar que o CAD (Computer Aided Design – Desenho Assistido por Computador) também envolve esses três fatores em seu desenvolvimento, porém o uso da tecnologia é um tanto quanto obsoleto para os dias atuais. O que faz com que o BIM tenha a vantagem da velocidade de desenvolvimento, gerenciamento de informações e, claro, no desenvolvimento de modelos tridimensionais.


CONSTRUÇÃO DIGITAL


Outra diferença, entre as duas metodologias, essa mais conhecida e disseminada, são os modelos de visualização tridimensional gerados em projetos BIM. Vale sempre ressaltar que BIM não é maquete 3D. As amostras de maquete 3D são artifícios gráficos de facilitação da visualização de um empreendimento, o que isso quer dizer? Estes modelos são pura e simplesmente visuais e tem como objetivo demonstrar digitalmente como o empreendimento se parecerá, ou seja, uma representação puramente visual.


No caso do BIM, o que se enxerga no modelo 3D é um compilado de informações e dados que juntos geram a referência visual a que se tem acesso. Ou seja, a referência 3D que se tem de um projeto em BIM carrega em si toneladas de informações pertinentes do projeto, que fazem com que aquele modelo não seja simplesmente uma representação imagética, mas sim, construção digital. Um retrato de como um empreendimento irá realmente se parecer e funcionar.


Esta é uma das principais e mais conhecidas diferenças entre a tecnologia BIM e o CAD. De acordo com engenheiros que trabalharam com ambas as tecnologias. Um exemplo disso é que, o projeto de uma casa de grande porte em BIM tem em média 1GB de dados enquanto o mesmo empreendimento em CAD que teria algo entre 300 kbytes. A diferença não é puramente numérica, o que se conclui destas informações é que a completude de um projeto construído digitalmente é muito maior. Estes dados são de extrema importância em todas as fases da construção, desde a própria leitura do projeto a execução e até mesmo o pós-execução.


TEMPO E OTIMIZAÇÃO


Tempo sempre foi e sempre será um dos fatores mais decisivos no mercado imobiliário, a frase “tempo é dinheiro” não é somente um clichê, ela faz sentido, deve ser levada a sério e a construção civil é uma forma de provar disso.


Economizar tempo é um processo muito mais complexo do que se demonstra a princípio. O que se imagina é que realizar demandas com velocidade é o único fator decisivo para otimização de tempo, mas não é assim tão simples.


Com o auxílio das tecnologia BIM é possível realizar previsões acuradas em diversas etapas do projeto e da obra, o que possibilita a exclusão de uma grande quantidade de imprevistos (vale lembrar que em um mercado como o da construção civil, imprevistos acontecem a todo o tempo, por isso, prevenir-se é de extrema importância). A modelagem de informação da construção é uma forma de prevenção contra eventualidades. O controle de que se obtém de cada pequeno aspecto do empreendimento é incomparável entre BIM e CAD.


SENDO ASSIM


Com o BIM se pode calcular os mais diversos aspectos referentes à obra, desde quantidade de materiais a até mesmo que dia e que hora certa peça será instalada, isso proporciona um amplo controle e previsibilidade, que faz com que o fator tempo seja, não mais um inimigo, mas um aliado do engenheiro e do empreendimento. Isso tudo só é possível graças à quantidade de informações presentes em um projeto BIM, que é, com certeza, sua principal vantagem em relação ao CAD, dentre as inúmeras existentes.



11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo