Buscar
  • GVBIM

BIM e o processo de tomada de decisão

Diante de processos e projetos complexos e que precisam passar por uma grande quantidade de pessoas. A tomada de decisão se torna uma das, se não a etapa mais complexa dentro de um empreendimento. As informações podem ir e voltar durante semanas até que algo seja decidido, passando por um conselho deliberativo, um board de investidores, direção da empresa e etc. Depois de tudo isso ainda há o risco relacionado à decisão tomada, a famosa sensação de “e aí, escolhemos corretamente?”.


Mas onde o BIM entra nisso?


Suponhamos que você esteja dirigindo por uma estrada. Viajando para outra cidade a trabalho, sem GPS. Logo à sua frente você se depara com uma bifurcação no caminho, um lado seguindo diretamente à esquerda e o outro à direita. Você abaixa o som do carro, olha bem para os dois caminhos e não vê nenhuma placa. Nada adiante te indica qual caminho seguir. Qual caminho você escolheria? Difícil escolher não é?


Agora voltemos à mesma estrada, mas dessa vez, você tem em mãos o seu tão querido GPS que te traz todos os dados possíveis sobre sua rota, mostrando caminhos alternativos, rotas mais seguras, mais rápidas, locais com menor congestionamento, etc. Diante de você, novamente, surge a tal bifurcação que no parágrafo anterior te causou tanto problema. Dessa vez, ao se aproximar dos dois caminhos você ouve uma calma e suave voz dizendo “Siga à esquerda”. Bem mais fácil agora, né?

Pois é, essa foi uma metáfora simples para explicar o papel do BIM no processo de tomada de decisão. “E que papel é este?”. O BIM é o GPS. Um facilitador. Um conselheiro que lhe entrega todas as informações necessárias para que sua decisão seja fundamentada em dados reais.


A tomada de decisão precisa estar ancorada em informação e dados


Como já dito em um de nossos textos, uma grande empresa é como um navio, ou seja, demanda uma grande quantidade de tempo e esforço para que mudanças sejam aplicadas. E mudanças em uma empresa precisam ser estudadas e simuladas a fundo antes de serem aplicadas, afinal, a quantidade de variáveis é incontável e cada uma delas importa na hora de escolher qual caminho seguir. Por isso, todo bom gestor sabe que não se pode simplesmente tomar decisões cegas, quanto mais informação, mais segura é sua decisão. E se tem algo que um empreendimento necessita é de segurança.


A tecnologia BIM é diretamente ligada à informação, está na sigla. Building Information Modeling (BIM), Modelagem de informação da construção. A base do BIM são as informações, por isso o uso desta tecnologia no processo de tomada de decisão é quase intuitivo. Se é necessário informação para se decidir algo importante, então que eu use o método que me traz mais dados.


Ainda é comum pensar que a grande vantagem do BIM sobre as outras tecnologias é a visualização tridimensional do projeto, quando na verdade, a vantagem está na compilação de dados proporcionada pelo BIM.


Poder visualizar seu empreendimento tridimensionalmente é sim uma vantagem, inclusive, uma enorme vantagem, mas o fator decisivo que faz o BIM ser uma tecnologia tão completa é a compilação de informações que ele carrega. Um projeto em BIM tem um nível de detalhes tão grande que capacita a previsão de qualquer panorama.


Construindo um Shopping


Você, motorista, passou por aquela bifurcação na estrada com a ajuda do seu GPS e agora chegou ao seu destino, um terreno no centro da cidade no qual você foi encarregado de gerir a construção de um Shopping Center. Conferindo o terreno foi possível ver que está tudo certo e que este empreendimento ali, será um sucesso. Mas essa decisão não é somente sua, existem investidores, gestores e gerentes que precisam aprovar esta obra, e aí, o que fazer?


O exemplo acima é como o da bifurcação. Uma decisão precisa ser tomada, mas ela não pode ser feita às cegas, são necessários dados para convencer toda essa gente de que o Shopping é uma boa ideia, e de onde saem estes dados? Do BIM. Com o BIM pode-se criar várias alternativas de projeto, especificações técnicas, quantidade de material a ser utilizado, tamanho da edificação para simular todas as possibilidades e se chegar no melhor resultado.


O BIM também possibilita informações quantitativas de custo, o que é um grande auxílio na hora da tomada de decisão, pois é possível prever com grande precisão quanto será investido no empreendimento, o que também ajuda na previsão de retorno deste valor investido.


E tudo isso torna muito mais simples convencer o seu board de que aquela decisão, é a mais assertiva. E quando falamos em convencer, não estamos dizendo no sentido ruim da palavra, de “forçar” a uma decisão por meio de retóricas vazias. Gestores estão acostumados com este processo de debate diante de uma grande mudança ou decisão, é comum que argumentos sejam analisados para que os próximos passos sejam definidos. Dentro desta realidade, o BIM fornece todos os dados necessários para o embasamento de um argumento.


Além disso tudo, ainda se tem o fator visual do BIM. Os modelos 3D facilitam a visualização do empreendimento e aproximam aquele projeto da realidade, deixando o processo de tomada de decisão bem mais rápido, fácil e intuitivo.


BIM é um mapa do futuro


Tal qual um super poder vindo direto das histórias em quadrinho, as tecnologias de construção digital são como previsões para diversas possibilidades de futuro. Claro que isso no mundo real se traduz em simulações fiéis da realidade, baseadas em dados e informações. Mas, como um mapa do futuro, o BIM é capaz de trazer à tona tudo o que precisa se saber na hora de decidir qual caminho seguir, uma visão do futuro que te mostra com detalhes e dados qual será a escolha certa.


Por fim, fica aqui nosso convite para que você leia os outros artigos do nosso blog e continue nos acompanhando também nas redes sociais no @gvbim_ no Instagram e no nosso canal no Youtube.



3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo