Buscar
  • GVBIM

BIM e seus usos não tão conhecidos

Building

Information

Modeling


Se você tem algum contato com arquitetura, engenharia, construção e/ou mercado imobiliário, ou mesmo se já pesquisou um pouco sobre o tema, com certeza já viu este termo em algum lugar. Aqui na GVBIM este é um assunto que não sai de moda, afinal, o nosso objetivo é implantar e disseminar essa tecnologia por onde passamos. Já que vamos falar de BIM hoje, porque não falar sobre seus usos menos convencionais? Por isso, nosso papo vai fugir um pouco do comum, afinal, a modelagem de informação da construção é uma tecnologia tão completa, que você não tem ideia das possibilidades que ela alcança.


Primeiramente, vale lembrar que BIM não é um software em si. BIM é composto por uma tripé: pessoas, processos e tecnologia, o que nos possibilita construir virtualmente com o uso de informações reais, trazendo assim, muito mais fidelidade ao que se vê na tela. Podemos dizer que é literalmente virtualizar o imaginário com dados, elementos e informações reais. Então vamos lá, mas antes, para falar sobre os usos “não convencionais”, primeiro a gente precisa passear um pouco pelo canteiro de obras dos usos mais comuns.


Uso do BIM em Grandes empreendimentos


Imagine que você foi encarregado de colocar um hotel 5 estrelas de 15 andares de pé. Na sua frente você tem, projeto arquitetônico, estrutural, hidrossanitário, pci , elétrico e entre outros. Este emaranhado de informações precisa se transformar em um edifício. Para resolver esse quebra-cabeças de forma coerente você vai precisar de alguém que entenda todas as regras do jogo e saiba resolvê-lo. E quem faz isso com maestria? O BIM. Essa imensidão de informações será condensada em um só lugar, que te dará uma visão completa da obra. Por isso é tão comum que o BIM seja usado em grandes projetos. Além disso, a tecnologia BIM proporciona que você veja este quebra-cabeças todo montado, na forma da simulação 3D do seu projeto. E não faltam exemplos de como este uso é positivo para quem o adota. Alguns de nossos clientes são provas disso: Energiza.SA, Cassol real estate e Engemon são alguns dos vários exemplos que podemos trazer de clientes para os quais prestamos serviços e que tiveram um resultado espetacular


BIM é só para gente grande ?


“Então o BIM só pode ser usado para esses projetos grandes?”


Não mesmo. Os softwares BIM tem capacidade de uso para empreendimentos de qualquer porte. E algo que torna o BIM cada vez mais popular para todo tipo de empreendimento é o custo benefício. Diferente do que se acredita, o investimento de um projeto que utiliza da tecnologia BIM já é equivalente em muitos casos ao projeto convencional 2D, enquanto as vantagens do projeto em BIM são muito maiores. Mesmo em empreendimentos de menor porte, como residências ou apartamentos o BIM se sobressai pelo mesmo fator dito no parágrafo anterior, a análise de construtibilidade e a rapidez. Ou seja, você recebe um projeto mais completo, mais confiável, mais fácil de se visualizar e mais rápido.


BIM e seus usos não tão comuns


Bom, agora que falamos um pouco sobre como funciona o BIM e como ele é usado normalmente, nós queremos partir para a segunda parte deste texto, na qual apresentaremos uma visão completamente diferente e inesperada. Nós imaginamos que você tenha chegado neste trecho do texto com uma pulga atrás da orelha, tentando entender onde iremos chegar com esse tal “uso menos comum”. Por isso foi necessário explicar em que tipo de situações normalmente aplicamos a Modelagem de informação da construção, pois a partir de agora vamos trazer um mundo completamente novo e que com certeza irá te mostrar o universo de possibilidades que o BIM proporciona.


BIM para desenvolver bibliotecas de componentes para fabricantes da construção civil


Já comentamos sobre projetos de grandes hotéis, sobre casas e até mesmo sobre pequenos apartamentos. Mas e se você, cliente, quiser construir uma fechadura digitalmente? Você poderia recorrer a alguma empresa que faz projetos utilizando as metodologias BIM. Foi assim que tivemos contato com nosso cliente, Pado Fechaduras. Eles entenderam que é estratégico para a empresa criar um catálogo digital de seus produtos utilizando um software BIM, para facilitar, não só a visualização, mas também a especificação correta deste produto em projeto para melhorar a aplicação deles dentro da obra. Funciona da seguinte forma. Nós da GVBIM construímos a fechadura com todos os dados técnicos necessários para que ela seja uma representação fiel 1/1 do produto original, com todas as especificações exatamente iguais às das fechaduras reais. Assim os arquitetos e engenheiros podem observar como aquela fechadura em específico seria utilizada naquela obra específica. O nível de detalhes que se pode alcançar com os projetos em BIM é inimaginável. E este tipo de produção é uma mão na roda para os projetistas que conseguem visualizar detalhadamente o produto final de sua obra com o objeto 3D diante de si. Vale lembrar que a construção digital leva em consideração todas as informações e características do produto.


Fechadura Pado BIM: modelagem de objetos para fabricantes.


Nuvem de pontos em alta resolução: Permite a conferência de dimensões e análise de patologias


Através desse link é possível fazer o download dos objetos das famílias da Pado.


Desconstruir para construir.


Este é de fato um dos usos mais interessantes do BIM. Pode-se dizer que é um processo invertido de projeto. Normalmente o projeto é criado e depois executado, mas imagine a seguinte situação. Uma empresa tem uma estrutura já construída, porém antiga, mas eles querem saber se essa base é capaz de suportar uma quantidade maior de peso, como eles poderiam fazer isso sem acesso ao projeto original?


Foi exatamente essa demanda que recebemos de nosso cliente, Caraíba.SA. Para realizar essa missão nós utilizamos o BIM de uma forma não tão comum assim. Com o uso de um sistema a laser foi feito um escaneamento chamado de nuvem de pontos, no qual tivemos acesso a uma reprodução fiel da estrutura em um software BIM. Com a fidelidade das dimensões tiradas foi a hora de inverter o projeto. Normalmente, se coloca primeiro os dados para que ele assim gere a visualização em 3D. Mas agora fizemos o contrário, geramos primeiro o 3D para que daí ele gerasse os dados da estrutura e nós os levássemos para um software de análise de elementos finitos, que nos traz informações totalmente fiéis à realidade em relação a comportamento estrutural. Assim foi possível acessar as configurações exatas da estrutura e fizemos um diagnóstico de sua capacidade de carga, ajudando no processo final de tomada de decisão de nosso cliente.


Escaneamento a laser da estrutura metálica para auxílio na modelagem BIM e posterior análise de elementos finitos.


Usando BIM para acompanhar uma obra


Quando a gente fala que com a Modelagem de Informação da Construção nós podemos acompanhar praticamente todas as variáveis de um projeto, nós não estamos brincando. Nosso trabalho com a execução da reforma do Aeroporto de Governador Valadares é prova disso. Imagine a quantidade de coisas que acontecem durante uma obra, você tem, funcionários, máquinas, fiscais, clima, equipamentos e mais uma infinidade de fatores que fazem com que o ambiente esteja fervilhando de trabalho. Agora imagine isso tudo dentro de um aeroporto em funcionamento. O número de variáveis aumenta tanto quanto a quantidade de suor na testa do engenheiro responsável. Por isso, para prever todos os tipos de situações possíveis, seria muito interessante que alguém pudesse criar uma simulação fiel à realidade para que este acompanhamento fosse feito, certo? Sim.


O que fizemos na execução do Aeroporto de GV foi criar essa simulação em BIM e, gerar todas as possíveis eventualidades com o mais alto nível de realidade necessário. Para colocar esta ideia para funcionar foi usado um óculos de realidade virtual, dando aos funcionários a possibilidade de acompanhar a simulação no ângulo de visão de uma pessoa em tempo real. Foram simuladas situações climáticas, pousos e aterrissagens, uso do espaço do saguão, além de diversas outras situações. E você pode acessar um vídeo desta simulação clicando aqui Este projeto foi tão interessante que gerou um trabalho científico em parceria com a Secretaria nacional da aviação civil, um convite feito a nós pela Adriana Rolim. Vale a pena conferir o trabalho.


Estes foram somente alguns dos usos possíveis da tecnologia BIM, ainda poderíamos estender esta conversa por mais horas e horas, mas esse papo vai ficar para textos futuros. O que queremos com este artigo é mostrar como essa tecnologia é versátil e poderosa. Como nosso chefe @engvalente sempre diz “A informação é o novo petróleo”, o BIM é uma forma de refinar este petróleo à excelência máxima. Ademais, fica aqui nosso convite para que você continue nos acompanhando por aqui e também nas redes sociais no @gvbim_ no Instagram e no nosso canal no Youtube.


50 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo