Buscar
  • GVBIM

BIM NÃO É UMA APOSTA


O que queremos dizer com aposta? Confira nesta breve conversa que teremos a seguir. Tendo como foco recursos que serão parte do dia a dia do futuro da construção civil, é preciso entender que um dos, se não o principal deles, é o BIM. É sempre proveitoso deixar claro que as tecnologias de construção digital não são apenas uma tendência. Tendências vêm e vão. Nós hoje queremos falar da consolidação do BIM no mercado, e sobre como esta tecnologia traz à tona tudo o que este mercado necessita. Por isso, mostraremos a seguir como o BIM vem se transformando numa necessidade inevitável dentro dos avanços mercadológicos.




A Tecnologia não espera os atrasados


É comum ler e ouvir frases como “investir no BIM é apostar no futuro” ou outras coisas parecidas. Primeiro, deixe-nos explicar o porquê dizermos que BIM não é uma “aposta”. É claro que entendemos que o contexto no qual a frase acima é dita não é pejorativo, na realidade, sentenças como esta são faladas com a melhor das intenções. Mas chegou o momento de desmistificar um pouco este conceito de apostar no futuro. Building Information Modeling faz sim parte do futuro da construção civil, mas se engana quem pensa que o avanço está somente lá na frente. O futuro do BIM já começou.


Somos lembrados diariamente que vivemos em uma realidade que cada vez mais avança rumo à tecnologia. Seria ignorante imaginarmos que esses avanços estão relegados a apenas algumas áreas do conhecimento. Nos últimos 20 anos a realidade tecnológica mudou da água para o vinho. Em 2002 a internet estava em seus passos iniciais de popularização e os celulares eram usados apenas para ligações e SMS. Duas décadas depois, com o uso de um smartphone com conexão 4G, qualquer pessoa é capaz de conversar com um total desconhecido do outro lado do mundo.


O que queremos dizer com isso é que as tendências tecnológicas avançam com uma velocidade inimaginável, por isso é preciso estar atento aos caminhos que começam a ser seguidos hoje, para que futuramente se chegue ao lugar correto.


É PRECISO ESTAR PREPARADO


Você já deve ter ouvido falar do Metaverso, a nova iniciativa do bilionário Mark Zuckerberg para a criação de uma realidade virtual na qual uma infinidade de atividades poderão ser realizadas, reuniões, festas, jogos, um mundo virtual cheio de possibilidades. Pois bem, esta tecnologia está mais próxima do BIM do que se imagina. De acordo com a própria empresa, a Meta, o Metaverso é um mundo virtual criado com o objetivo de replicar features do real. Isto já vem sendo feito com as tecnologias de construção digital há anos. O que projetamos no BIM é uma representação digital com dados reais para que possamos no “mundo virtual” ter acesso ao empreendimento antes mesmo que ele saia do papel.


A notícia sobre o surgimento de um Metaverso é o anúncio de que o mundo caminha cada dia mais para a digitalização. Digitalização que nos atinge de todos os lados e nos atingirá também na construção civil. Observando esta tendência por um mundo ainda mais digitalizado é possível dizer com certeza que empresas da construção civil que abraçaram os processos de Building Information Modeling com antecedência estão quilômetros à frente daquelas que ainda se prendem a modelos mais antigos.


BIM como exigência


Falamos sobre as tendências mercadológicas e comportamentais que nos indicam que o uso do BIM só tende a crescer de agora para frente. Mas se isto não é motivo o suficiente para abrir os olhos dos mais céticos, está na hora de falar sobre o BIM como exigência de governos e órgãos públicos. Em diversos países da europa, amplamente conhecidos por serem pioneiros no uso das metodologias de construção digital, o uso do BIM já é obrigatório em certas circunstâncias, por exemplo. Na Inglaterra, desde 2016, todas as obras realizadas para o poder público devem ser projetadas em BIM. Na Alemanha o uso do BIM é obrigatório em obras que estejam avaliadas em mais de cem milhões de euros.


Exemplos externos não faltam, mas falando de uma realidade mais próxima, no Brasil, de acordo com o Decreto nº 10.306, de 2 de abril de 2020, de janeiro deste ano em diante, BIM deverá ser utilizado em obras realizadas por órgãos e entidades da administração pública. Ou seja, o uso obrigatório da tecnologia de construção digital já chegou em solo brasileiro.


O que podemos aprender estas informações é que cada empresa do ramo da construção civil que ignora a importância do BIM está dando um passo arriscado em direção ao desconhecido. Como dissemos acima, Building Information Modeling já deixou de ser uma tendência e se tornou algo recorrente, uma certeza no presente da nossa área e no futuro da tecnologia.

7 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo